Skip to main content

Maranhão segue denunciando PL do estupro

Foto: Divulgação

O Maranhão segue firme denunciando o projeto de lei 1904/24, chamado ‘PL do Estupro’. No domingo (23/06) movimentos sociais, organizações e partidos se uniram ao ato nacional contra este retrocesso. 

Em São Luís, a concentração foi na Praça Pedro II, seguido de um cortejo na Feirinha da Benedito Leite.

Além de pedir o arquivamento deste PL, que tenta criminalizar as mulheres e meninas vítimas de estupro, há uma mobilização nacional contra o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira e contra a extrema direita.

A ideia é manter a mobilização constante para que o projeto seja efetivamente arquivado e não seja votado, como pretende o presidente da Casa, atendendo à bancada evangélica.

O projeto, que seria votado em regime de urgência, até o momento não foi colocado em pauta no plenário, devido às diversas articulações nas ruas e nas redes sociais. As pessoas estão expondo como esta legislação pune, especialmente, meninas que são vulneráveis a estupros.

Equiparando o aborto legal de até 22 semanas à homicídio, o ‘PL do Estupro’ coloca uma pena maior para as vítimas (06 a 20 anos) comparada a dos estupradores (06 a 12 anos).

Leia também: Movimentos se mobilizam pelo arquivamento do ‘PL do Estupro’

Os atos que estão acontecendo por todo Brasil, também discutem o direito ao aborto legal em qualquer situação. No país, as mulheres podem fazer o procedimento em casos de estupro; de feto anacéfalo e gravidez com risco de vida para a gestante.

Em ato na capital maranhense, as mulheres bradaram: “Vamos seguir na luta pela vida das nossas mulheres, das nossas crianças e das pessoas que gestam!”.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x

Acesso Rápido

Mais buscados